O Futuro Tecnológico da Bicicleta

A inovação e a evolução tecnológica são inevitáveis e ocorrem quase diariamente. A mudança na área da mobilidade ciclável não é exceção. 

A população das cidades está em crescimento, sendo que de acordo com estimativas da ONU, em 2050, dois terços da população mundial viverá em meio urbano. Para atender às necessidades da população em expansão e atender às necessidades do seu estilo de vida, o governo está a tentar tornar as cidades mais inteligentes através da utilização da tecnologia. As cidades inteligentes têm o potencial de reunir dados de várias fontes de informação e usá-los para fornecer soluções para gerir ativos e recursos. Com o aumento de produtos e aplicações de tecnologias de informação, há um aumento da procura para a criação dessas soluções.

A tecnologia, as pessoas e a sustentabilidade têm uma ligação que se prende pela forma como os recursos são geridos. Monitorizar e optimizar a gestão dos recursos poderá levar ao alcance da sustentabilidade, daí que a tecnologia seja importante. Esta ligação faz com que as Smart Cities sejam muito mais que apenas a tecnologia ou os sensores.

É também necessário usar tecnologia sustentável para criar uma cidade inteligente e sustentável. A questão da sustentabilidade levanta a necessidade de tecnologias de informação ‘verdes’.

Um conceito muito recente é o de Mobility as a Service (MaaS), o paradigma alterou-se e, mais do que nunca, os serviços adaptam-se às necessidades dos passageiros. Os utilizadores têm neste momento à sua disposição uma multiplicidade de opções de transporte, as quais, graças à tecnologia e à difusão das plataformas digitais e aplicações, lhes permitem saber previamente o preço a pagar por uma viagem, o tempo de chegada, bem como definir o ponto de origem e destino: Flexibilidade e personalização.

O próprio conceito de MaaS está a evoluir e, com o crescimento da micro-mobilidade, especialmente ajustada às viagens de curta distância, verificamos cada vez mais modos de transporte que propõem um estilo de vida flexível e ágil nas grandes cidades.

O modelo MaaS também está a ter um contributo muito significativo na construção das smart cities, ao permitir a melhoria das condições de vida das comunidades, bem como o fomento da economia a partir de um ponto de vista sustentável e ecológico.

Palavras-chave:

– Mudanças tecnológicas

– Inovação

– Pesquisa e desenvolvimento

– Inteligência artificial

– Canais de comunicação

– Logística

– Design

– Mobilidade elétrica

– Smart Cities 

– MaaS

Datas Importantes:

Submissão de Apresentações - Call for Abstracts:
Até 11 de abril de 2021

Notificação de Aceitação de Propostas:
30 de Abril de 2021

Inscrição - congresso presencial:
até 23 de Maio 2021

Inscrição - congresso virtual:
até 30 de Maio 2021

Congresso:
3, 4 e 5 de Junho 2021