Bici-Economia & Turismo

Em contexto urbano, a bicicleta é o modo de transporte simultaneamente mais rápido, menos consumidor de espaço público e recursos energéticos, e de menor custo de construção e manutenção de infraestrutura. Para além destes ganhos de eficiência, a bicicleta é também o modo de transporte urbano mais inclusivo do ponto de vista social, económico e geográfico. Para convencer os políticos a investir em mais e melhor infraestrutura ciclável é preciso quantificar e demonstrar os seus benefícios económicos, sociais e ambientais.

Em Portugal a indústria da bicicleta tem vindo a crescer e além do valor económico das exportações, destacamos os empregos gerados por essa via. 

A bicicleta deve ainda ser considerada uma oportunidade para o setor do turismo, nomeadamente no que diz respeito ao turismo sustentável e com a particularidade de que não é sazonal, contribuindo ativamente para o emprego regular ao longo de todo o ano, assim como, para a distribuição do turismo por várias zonas (incluindo rurais) dispersando as mais-valias dessa procura e proporcionando oportunidades de desenvolvimento local para o restante território. Embora o turismo esteja numa fase crítica devido à pandemia, espera-se que tenha um grande crescimento quando as pessoas conseguirem voltar a circular livremente e em segurança e pode ter um papel importante na recuperação económica.

Palavras-chave:

– Benefícios sócio-económicos

– Incentivos fiscais

– IVA

– Poupança bicicleta vs carro

– Incentivos ao uso da bicicleta

– Turismo em bicicleta

– Indústria

– EuroVelo

Datas Importantes:

Submissão de Apresentações - Call for Abstracts:
Até 11 de abril de 2021

Notificação de Aceitação de Propostas:
30 de Abril de 2021

Inscrição - congresso presencial:
até 23 de Maio 2021

Inscrição - congresso virtual:
até 30 de Maio 2021

Congresso:
3, 4 e 5 de Junho 2021