A Bicicleta, a Saúde e o Planeta

​O profundo interesse das três últimas décadas em torno da noção de sustentabilidade é reflexo da crescente consciência social que reconhece que, cada vez mais, as atividades humanas causam impactos ambientais de relevância significativa. Apesar de todas as soluções tecnológicas apontadas para reduzir o impacto negativo dos transportes na qualidade do ambiente urbano, como por exemplo, carros elétricos ou eficientes, no geral não parecem reduzir os problemas de forma suficiente, para fazer do seu uso uma prática que garanta a sustentabilidade do planeta e  das cidades. É neste sentido que se pretende fazer a promoção do uso da bicicleta e outros modos suaves em áreas urbanas, reduzindo o tráfego e o congestionamento automóvel, sugerindo a prioridade a modos de transporte menos poluentes.

Portugal e Espanha assumiram compromissos no Acordo de Paris (2015), de promover uma redução muito significativa nas emissões de gases com efeito de estufa. O objetivo é alcançar a neutralidade carbónica até 2050.

A promoção do uso da bicicleta em substituição do automóvel é uma forma de combater a inatividade física, um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares, e problemas como a obesidade.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, sempre que possível, e no momento pandémico que vivemos, deve ser considerada a possibilidade de andar de bicicleta ou a pé, pois estes modos de deslocação permitem distanciamento físico, ao mesmo tempo que contribuem para a atividade física diária, contrariando o agravamento do sedentarismo associado ao confinamento, ao aumento do recurso ao teletrabalho e ao acesso limitado ao desporto ou outras atividades recreativas.

Palavras-chave:

– Ambiente

– Clima

– Poluição sonora, atmosférica e gestão de resíduos

– Sustentabilidade

– Mobilidade suave

– Energia

– Neutralidade carbónica

– Qualidade do ar

– Saúde física e mental

-Impactos Covid

Datas Importantes:

Submissão de Apresentações - Call for Abstracts:
Até 11 de abril de 2021

Notificação de Aceitação de Propostas:
30 de Abril de 2021

Inscrição - congresso presencial:
até 23 de Maio 2021

Inscrição - congresso virtual:
até 30 de Maio 2021

Congresso:
3, 4 e 5 de Junho 2021